domingo, 27 de fevereiro de 2011

The end...

"Há um tempo em que é necessário abandonar as roupas usadas... que já têm a forma do nosso corpo... e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares... É o tempo da travessia... e se não ousarmos fazê-la... teremos ficado para sempre... à margem de nós mesmos."

É assim que me sinto... à margem! Nestes últimos meses, muitas coisas boas aconteceram. Outras, infelizmente, continuam por acontecer. E eu estou a mais. A mais neste espaço. A mais aqui!
 
Já não me sinto eu própria, nem sinto que esteja a dar o melhor de mim! Tantas vezes que pensei dizer alguma coisa, e achei melhor dizer coisa nenhuma. Porque este já não é o meu espelho.

Preciso urgentemente de fazer uma mudança maior na minha vida. Mais radical. Que me permita de novo ficar no controlo. E não tenho conseguido. Na verdade, e por mais que me custe, sinto-me cada vez mais a ir ao fundo. Sem forças.

Por isso, largo as "roupas velhas", apago a luz e fecho a porta. Com esperança e vontade de que muitas outras se abram, e me permitam finalmente ter aquilo que preciso.

O @revonline fica por aqui. Obrigada a todos os que tiveram a paciência e ousadia de me acompanhar. A vida há-de continuar noutras paragens...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Dela...

Teve (finalmente) "Satisfaz Bem" a Língua Portuguesa e Matemática. Fez questão de lembrar que foram as melhores notas da turma. Disse que era o dia mais feliz da vida dela (o que vale é que vai tendo muitos)! Estudou sem ninguém ter que mandar Estudo do Meio, e foi para a escola com uma boa disposição incrível.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Diálogo no fim do jantar do dia de Namorados... - post para maiores de 18!

Eu:
- Vais-me dar um gatinho? O meu presente mia?
Ele:
- Não!
Eu:
- Mas eu gostava de ter um gatinho. Que cheirasse a gatinho. Tens noção de que quando eu tiver um gatinho, a nossa vida sexual se vai reduzir em 50%?
Ele:
- MAU! Mas o que é que tu vais fazer com o gatinho?!?!?!?!?!?
(Eu juro que estava a referir-me às tardes em que havemos os dois - eu e o gatinho - de adormecer enroscados no sofá...)!

Diálogo com crianças entre os 5-7 anos, sobre Música...

- O que é que vocês sentem quando ouvem música?
Resposta:
- Os meus pais sentem o "sexy". Porque uma vez a minha mãe estava na banheira, o meu pai entrou, começaram a ouvir música, e fizeram o "sexy"!
(Onde é que eu perdi a minha lente de contacto, mesmo???)!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Hoje à noite...

... é dia dos Namorados, na Nazaré!

Este fim-de-semana damos um passeio, e (finalmente) Miss Ianita recebe o presente de aniversário... do ano passado (mais vale tarde do que nunca...)!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Ontem...

As Quartas à noite são passadas assim: a ouvir. Com atenção e sossego. Numa paz que me invadiu desde o momento em que percebi que talvez a igreja tenha encontrado um novo caminho. Ou que eu própria tenha encontrado o meu caminho até à igreja. Quando já não me tentam vender aquelas teorias nada científicas e duvidosas. Quando não me dão respostas a "como", mas me dizem "porquê"!

Voltei à missa, e gosto. Estou na catequese para adultos, porque faço questão de ser crismada. Fico fascinada com determinadas histórias que oiço, da Bíblia. Retenho frases. O Padre Joaquim aborda todos os assuntos com leveza e com paixão. Com a convicção de quem sabe do que fala. Com uma cultura admirável. E estou rendida... orgulhosamente rendida!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Hereafter



Ainda não sei se gostei do filme...

Do fim-de-semana...

Digo eu com um ar guloso:

- Hmmmmmm... cheira a comida.

Reposta pronta:

- Cheira a ração.

(Devia ter respondido com um "uaafffffffffffffffffffff")!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Falling to pieces...

Nos últimos dias tem sido assim. Eu, a desfiar lembranças. A desenterrar informação. Na certeza de que a minha memória selectiva se mantém. Vi coisas que não me lembrava de ter vivido, de ter dito, de ter ouvido. Coisas que guardei, na esperança de um dia as conseguir entender. Mas confirma-se... não entendo!

E justifico assim a minha repentina dor dilacerante. A ausência de sentido de humor. O sentimento profundo de depressão. Aquilo que reconheço como falta de vontade de acordar. De ter que viver mais um dia. Outro dia. Com a única diferença de que agora sou mais capaz de reagir. Melhor... sou obrigada!

Hoje resolvi limitar as memórias às boas recordações. E foi com um sorriso que comecei a ler-me a 29 de Janeiro (já passou praticamente um ano...)! Desde aquela mensagem no dia anterior, com um convite para almoçar. Um almoço que se transformou em fim-de-semana e mudou a minha vida para sempre...

Sim, encontrei a pessoa com quem quero viver o resto da vida. Mas será suficiente? Quando às vezes me apercebo de que nós somos mesmo de Vénus, e eles de Marte. E que não vale a pena lutar contra moinhos de vento. Porque é da natureza. E será deles a natureza e a incapacidade de nos entenderem, de nos lerem nas entrelinhas. Daí o meu incómodo no fim-de-semana passado. Porque ando há dias e dias a pedir ajuda - e só me falta mesmo fazer sinais de fumo...

O meu problema. Este meu problema maior, ninguém pode resolver por mim, que não eu. Mas eu também não sei como. Continuo sem saber como. E passou demasiado tempo. Tempo a mais para eu continuar sem saber quanto mais vou ter que viver com estes fantasmas. Porque este tempo que é demasiado, passou sem eu ter a oportunidade de mostrar o que valho... e como vai ser? O que vai ser o futuro?

Estou novamente despedaçada. Mais apoiada que nunca. Mas despedaçada...

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Custa...

... esperar!
Pela vida que não acontece. Pelo telefonema que não chega. Pela solução que não se encontra.
(Ouvir falar de esperança não ajudou, nem resolveu. O pensamento que não pára, a preocupação que aumenta. A ansiedade...)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Speechless...

Lyonce Viktórya?

Ninguém merece...

Hoje à noite...

... retomo um desejo antigo: voltar à catequese!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Diz que é um tubarão...

Durante a semana passada ligou-me em quase histeria. Parece que foi proposto mudar novamente de classe, e desta vez foi para os tubarões. Nas aulas, já não há cá brincadeiras, nem meias piscinas. Nada de uma ponta a outra. Fica cansada. Tem mais dois amigos de classe que são três anos mais velhos, e que lhe custa acompanhar. Mas tenta. E esforça-se. E mudou de côr de touca, com orgulho, como que se de uma condecoração se tratasse.

É fabuloso ver a evolução rápida dela. A maneira como se dedica, e gosta, e se queixa do esforço...

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Este canto já se habituou aos meus choros. Certo é que sinto falta do meu sentido de humor!
No outro dia, dei por mim a pensar em não sei quantas situações caricatas das quais queria falar. Só que me apercebi que este não tem sido o meu registo. Que, provavelmente, perdi o meu registo original. E tenho saudades!
Eu sei o que tem sido a minha cabeça nos últimos tempos. Sei das angústias, e das horas de sono perdidas. Sei dos problemas para os quais continuo sem achar solução. E passa-me muitas vezes pela cabeça que provavelmente não vou ser capaz!
Respiro fundo. Tenho pena do que não sou e do que não consigo dar. Do que não consigo fazer. E sei... que preciso de parar de me lamentar e agir. Mas como?

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

34...


Pois parece que este ano resolveste que eu dava a irmã da noiva mais gira da história das irmãs das noivas, e isso já era suficiente para te dar Parabéns. Mas a somar, ficaste hoje mais velho. Tão velho, que estás a um pequeno passo de começar a pagar meio bilhete nos museus! Quando menos esperares, o teu BI já diz "Vitalício"...

Um desejo profundo... liberta o bicho que há em ti, e vive. Com saúde, amor e felicidade. Que os dias te sorriam sempre. Que todos os teus desejos se realizem. Parabéns, Al. Parabéns!

Fim-de-semana em imagens...