domingo, 27 de fevereiro de 2011

The end...

"Há um tempo em que é necessário abandonar as roupas usadas... que já têm a forma do nosso corpo... e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares... É o tempo da travessia... e se não ousarmos fazê-la... teremos ficado para sempre... à margem de nós mesmos."

É assim que me sinto... à margem! Nestes últimos meses, muitas coisas boas aconteceram. Outras, infelizmente, continuam por acontecer. E eu estou a mais. A mais neste espaço. A mais aqui!
 
Já não me sinto eu própria, nem sinto que esteja a dar o melhor de mim! Tantas vezes que pensei dizer alguma coisa, e achei melhor dizer coisa nenhuma. Porque este já não é o meu espelho.

Preciso urgentemente de fazer uma mudança maior na minha vida. Mais radical. Que me permita de novo ficar no controlo. E não tenho conseguido. Na verdade, e por mais que me custe, sinto-me cada vez mais a ir ao fundo. Sem forças.

Por isso, largo as "roupas velhas", apago a luz e fecho a porta. Com esperança e vontade de que muitas outras se abram, e me permitam finalmente ter aquilo que preciso.

O @revonline fica por aqui. Obrigada a todos os que tiveram a paciência e ousadia de me acompanhar. A vida há-de continuar noutras paragens...

4 comentários:

ianita disse...

O caminho é em frente. E não há coisa melhor que dar novos passos no nosso caminho de roupa nova :)

Beijos muitos e estou sempre aqui.

Sandra Brema disse...

Sem Muitas palavras porque fui apanhada de surpresa...

Mas sou da opinião que ninguem deve ficar preso a amarras só porque sim.

Gosto muito, muito de ti Vera, e fico aqui no canto a aguardar q um dia quem sabe, acendas a luz mais uma vez.

Sandra

rutinha disse...

vera, venho cá menos vezes do q gostaria, mas percebo-te! desde que vás passando no meu canto e não desapareças tudo bem, é que uma pessoa habitua-se e afinal já nos conhecemos há uma serie de anos verdade? :)

um beijo grande e tudo a correr bem nesta nova fase da tua vida, às x precisamos de mesmo de largar as roupas velhas.

Raquel Úria disse...

Eu nem acredito que só te descobri este blog, dias depois de te despedires!

Beijinhos, Vera.